segunda-feira, 6 de junho de 2011

O egoísmo perante a vida

Todos nós temos a certeza de que somos conscientes e a ideia de que temos alma é aceita pela maioria, creio eu. Você sabe que você é o dono desse corpo, você sabe que os seu pulmão é seu, e é você quem está vivo, ele apenas faz parte de você. A repetição se fez necessária para introduzir o assunto. Enfim, um ser humano tem órgãos responsáveis por cada função em seu organismo, estes por vez são formados por tecidos, que são formados por células.

Uma célula possui inúmeras organelas, que nada mais são do que seus órgãos, responsáveis pelas funções de respiração, alimentação, e até defecação. Após isso, uma célula não seria um organismo como o nosso em menor escala? O que move o nosso corpo é nosso fluído vital - seja ele alma, sangue ou qualquer tipo de força que você acredite que seja. Nós estamos VIVOS, e é isso que faz nosso organismo funcionar. Qual o responsável pelo funcionamento de uma célula então...?

Nós não diferimos em nada de uma célula. Sim, isso é uma afirmação (coisa muito rara de se encontrar nessa minha escuridão). Células são organismos, vivos. Nós somos células de um outro organismo, vivo. Existe um fluído que move tudo isso, e não é preciso ter consciência para se estar vivo.

Inteligência artificial e robôs semelhantes à humanos. O que pensar? Suponhamos que algum dia o criador de uma criatura robótica decidisse a desligar. Ele não teria remorso algum, afinal, aquilo é uma máquina! Não possui essência humana. Possui inteligência, capacidade de aprendizagem... mas é apenas uma criatura robótica. Foi feita de vários tipos de metal, seus órgãos são feitos de um material diferente. Aquilo não possui alma, é apenas fruto de seu processo criativo.

Agora suponhamos que certo dia deus decidisse destruir sua criação. Ele não teria remorso algum, afinal, aquilo é uma criação! Não estava lá desde sempre, possui inteligência, sentimentos, capacidade de aprendizagem... mas é apenas uma criação. Não possui essência divina. Veio do barro!! Não é como deus ou anjos, não possui alma, é apenas um pouco de carne, um enfeite artesanal confeccionado. Um desenho. Uma escultura.

Voltamos ao primeiro parágrafo. Você está vivo e tem consciência. Está nesse exato momento fazendo o uso de várias ferramentas do seu corpo para tomar comprensão destas letras. Como um robô, está entendendo, está armazenando, está aprendendo. Mas é apenas uma criação, feita de barro ou metal, alguém o criou. Pois aquele que cria, automaticamente se torna deus. E então só porque você foi criado quer dizer que não seja de verdade? Do ponto de vista de quem?

Quando algo é criado, nós nos dividimos, transferimos uma parte de nós mesmos àquela criação. "À imagem e semelhança do criador". Você realiza nada mais do que uma divisão celular. O fluído da vida sempre é transmitido. Você é tão criador quanto criação. Você é tão célula quanto uma célula, e ela é tão organismo quanto você. As organelas destas são formadas por alguma coisa, e esse alguma coisa é formado por alguma coisa. Você faz ideia de que você nunca conseguirá enxergar seu corpo com totalidade? Não temos olhos para isso. O seu corpo é infinitamente microscópico E infinitamente telescópico, pois você é a coisa que forma alguma coisa coisa, que forma a organela da célula que forma alguém.

E a conclusão de tudo isso?

Tudo o que existe está para tudo o que existe.
As mesmas direções, mesmas leis, mesmos deuses.
O mesmo e único fluído vital. A vida é indestrutível.

2 comentários:

J.F.S. - João Francisco da Silva disse...

Já tinha saudades tuas. Depois de ler com a ajuda das minhas células estas tuas frases, não me questiono sobre este assunto. A vida é para nós um grande mistério, parece que é importante para o nosso funcionamento mental existir esse grande mistério. Achas que vamos desvendar o mistério da vida? Hum, não sei não. Só sei que nada sei.
E já agora que estou aqui, te desejo um misterioso fantástico fim de semana com todas as células a funcionarem a 100%. Abraço, João.

J. Arruda disse...

Bem, o que posso tirar em conclusão a tudo isso é que, segundo o teu ponto de vista, que conseguiu me convencer, tudo é independentemente dependente! Não existe alguma coisa sem existir outra antes, nem depois, o ciclo se completa e sempre será assim.
Quem veio primeiro: o ovo ou a galinha? Não importa realmente, mas alguém deve ter vindo primeiro para que o outro existisse... Não é isso?
Atualmente estou em uma fase (que já dura anos) em que piamente acredito que deve ter algo além da nossa existência como organismos compostos por organismos e que compõem outro organismo... A gente é tão vivo, tem tanta consciência sobre nossa consciência, sobre nossos pensamentos, "penso, logo existo", que acho que não pode simplesmente... deixar de existir! Simplesmente sumir a alma e deixar o corpo lá para ser comido por vermes? Isto não está certo... Por isto a morte me intriga tanto... Assim como os sonhos, os dois grandes mistérios naturais do ser humano!