segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

essa maldita inércia que não para quieta;

De novo digo que quero sentir. Mas as pessoas nem são reais e tudo que vivi foi um filme qualquer que sequer aconteceu dentro de mim. Eu não tenho história. Não sei como posso ter 22 anos de idade se o tempo nunca existiu antes disso. 

Talvez eu esteja em coma. Mas também sei que eu mesma me coloquei nesse estado porque o contrário seria insuportável. Tá legal mas não tá legal. Não tá legal mas tá legal. Me apavora que não seja criptobiose e sim um novo estado permanente. Pfff, a impermanência que é permanente.

Se já não sinto nada agora, tudo vai desaparecer depois de um mês. 

É só que não dá pra respirar direito aqui em cima.