sábado, 19 de setembro de 2009

Welcome to the universe

Visto de nós o nosso planeta parece ser tão grande, e por mais que nós saibamos que existem muito mais para se descobrir além disso, ele continua sendo o nosso mundo, e sendo do tamanho que é, para nós parece ser imenso da mesma forma. Tá mas e o que eu quis dizer com isso? Quis dizer que a nossa capacidade de compreensão nos impossibilita de entender a realidade. Se tu só enxerga até os morros no horizonte, não quer dizer que tudo acabe lá. Como já disseram, "não vemos as coisas como elas são, e sim como nos parecem".

Supondo que, o universo fosse finito e um homenzinho qualquer pegasse sua navezinha bem feliz e fosse pro espaço comprovar isso. Lá está ele "voando" pelo espaço e de repente bate numa parede preta, "pronto, cheguei ao fim do universo". Tá mas e aí? No momento em que tu bateu em alguma coisa, quer dizer que tem algo atrás dela, logicamente. É aí que o homenzinho resolve fazer um buraco na parede, e então descobre que o seu universo não passava de uma simples casquinha de noz, perdida em um outro universo o qual ele não consegue descrever.

Isso foi um exemplo idiota, mas acho que consegui me fazer entender. Finito é a mesma coisa que infinito, porque assim que se acha o fim de alguma coisa, se acha o início de outra. E infinito... não cabe á mente humana descrever, a nossa maneira de pensar não nos permite compreender isso. Mas e se fosse como o que eu disse á algumas palavras atrás? Se o fim de todas as coisas desse início á outras, o espaço seria um círculo perfeito, onde a cada vez que tu chegasse ao fim tu voltasse pro início. Pode ser que sim, pode ser que não. Mas é o máximo que a nossa capacidade de compreensão das coisas nos leva a chegar.

Hoje temos vários recursos, temos a ciência á nossa disposição. Já foi comprovado através dela que existem milhões de seres invisíveis aos nossos olhos, eles vivem em um mundo milimétricamente imenso. E esse minúsculo mundinho deles é necessário e indispensável para o nosso. Até nossas células possuem vida, são "seres", digamos assim, como nós. Tudo é um conjunto e colabora pra um único sistema de vida. Ou pelo menos era pra ser assim, se nós não estivéssemos como estamos agora, caminhando pra uma auto-extinção. Então, se tudo é interligado e se tudo tem uma razão, qual é o motivo de existirem tantos planetas inabitados? Qual o motivo das estrelas ficarem brilhando lá no céu? E por quê a nossa mente nos tortura tanto com perguntas das quais as respostas são inexplicáveis?

Segundo o velho ditado, é melhor viajar com esperança do que chegar. Se atingíssemos a meta, certamente o espírito humano definharia e morreria. Apesar de tudo isso, é bom que sempre tenhamos perguntas a fazer, é essencial para a mente humana sempre ter um caminho a percorrer, isso nos cria uma aprendizagem constante, um horizonte imenso em possibilidades de expansão.

3 comentários:

Douglas disse...

concordo com todas as suas palavras
as vezes eu acho que o nosso universo é uma bolinha de gude que está sendo jogada com outras bolinhas (outros universos) por seres maiores do que nós.

Se temos células e bactérias dentro de nós, por qu enão poderíamos ser células e bactérias de uma coisa também?

é tão complexo e tão abrangente. saber o que se existe além do conhecimento.. alguns dizem que o universo está em expansão, consequentemente ele tem um fim que está crescendo, então o que vem depois dele?

antes do Big Bang (teoria científica) o que tinha era vácuo, mas o que é esse vácuo? tem que ser um lugar ou oq?

são tantas perguntas e tão poucas respostas.. mas como disse talvez algumas metas não devam ser atingidas, para não tirar muitos motivos de vida..

beijo

Rodrigo Marcilio disse...

O que está fora está dentro, o micro e o macro cosmos... Quem sou eu, De onde vim, Para onde vou... estas tres perguntas intrigam filosofos e cientistas a milênios... e ainda não temos respostas conclusivas e talvez nunca tenhamos... mas só o fato de nos perguntarmos a respeito nos aproxima da verdade !!!

Participe do meu blog !!!

Namastê !

Lico disse...

O que move o ser humano são as perguntas, não as respostas, + ou - isso?

Abração positivo, Breenda !!